Três transplantes renais em menos de 10 horas

Pacientes da Pró-Rim foram beneficiados com órgãos de doadores cadáveres

 

Ontem, 11/12, foram realizados três transplantes renais pela equipe de transplante da Fundação Pró-Rim no Hospital Municipal São José (HMSJ) em Joinville.

 

Foto: Max Schwoelk

As cirurgias iniciaram às 13h30, com término às 23h. A mesma equipe realizou os três transplantes, conduzida pelos médicos cirurgiões Dr. Christian Evangelista Garcia e Dr. Jean Cristovão Pereira Guterres.

Apesar da corrida contra o tempo os três casos – acompanhados e preparados pela equipe interdisciplinar no Ambulatório de Transplantes da Pró-Rim – foram de sucesso e beneficiaram pacientes homens: um do Paraná (46 anos), um de Santa Catarina (41 anos) e um Goiás (53 anos), que receberam os órgãos de doadores cadáveres. Todos os pacientes entraram em lista este ano, um deles aguardou apenas sete dias.

Segundo o médico Dr. Christian Garcia a luta maior foi por diminuir o tempo de isquemia do órgão (esfriamento) transplantado, o que garante melhor funcionamento do rim novo no receptor. “Precisamos ser rápidos e pontuais. Isso é fundamental para que o transplante seja bem sucedido”, enfatizou.

Com isso, a Pró-Rim chega a 95 transplantes renais realizados até o momento, e ultrapassa a marca de 1.200 procedimentos ao longo de sua história, proporcionando assim mais qualidade de vida aos pacientes que aguardavam em lista por um novo rim.

 

Doação de órgãos Salva Vidas

Os transplantes realizados ontem são alguns dos exemplos da importância que tem a conscientização sobre a doação de órgãos. Foi pelo Sim destas famílias, num momento de dor e perda, que três pessoas terão uma nova vida.

Quem quiser ser doador não precisa deixar nenhum documento expresso. Basta conversar com os familiares, manifestando esse desejo. Cabe à família cumprir a vontade do doador.

“E por isso nós lutamos todos os dias, integrados a uma rede fantástica de solidariedade formada pela CNCDO (Central de Notificação Captação e Distribuição de Órgãos e Tecidos), equipes de captação e tantos profissionais que atuam diretamente no transplante de órgãos”, disse o presidente da Fundação Pró-Rim, Dr. Hercilio Alexandre da Luz Filho.

O Brasil tem o melhor programa de transplante do mundo, modelo que é copiado por todos os países. É também o segundo país no mundo que mais realiza transplantes de órgãos. Em Santa Catarina, temos uma das menores listas de espera por um rim no país. Tudo isso pelo profissionalismo e solidariedade em prol da doação de órgãos. Apesar disso, ainda muitos pacientes aguardam na fila. Somente de transplante de Rim são 20.000 pessoas no Brasil. Doar órgãos é um ato de amor e é simples.

Sobre a Fundação Pró-Rim (www.prorim.com.br): A Fundação Pró-Rim é uma entidade sem fins lucrativos com 25 anos de atuação. Realiza tratamento de doenças renais crônicas e possui unidades em Santa Catarina e Tocantins. Está entre as 8 instituições que mais realizam transplantes renais no país e foi a primeira unidade de hemodiálise de SC a receber o nível máximo de Qualidade da Organização Nacional de Acreditação (ONA). Pelo quinto ano consecutivo foi eleita pela Revista Exame, como uma das 150 melhores empresas para se trabalhar no Brasil.