Estresse no trabalho: os 10 principais sintomas e as consequências na produtividade

Especialista em qualidade de vida in company revela que, quando o estresse não é devidamente tratado, ele pode facilmente evoluir para a Síndrome de Bournout e causar afastamento do profissional

 

Segundo dados divulgados pela International Stress Management Association (Isma- BR), cerca de 70% da população economicamente ativa no país revela sintomas de estresse. Entre os mais comuns – e que muitos de nós já conhecemos-, estão: irritabilidade, insônia, falha de memória, diminuição do entusiasmo e desorganização. “A exigência no mercado de trabalho é cada vez maior. A autocobrança, a pressão no ambiente de trabalho e fatores econômicos são decisivos quando falamos em estresse profissional. O que não nos atentamos – digo as empresas, principalmente-, é para a consequência desse conjunto de sintomas”, explica Evelen Spilla, diretora da WED Consultoria, especializada em saúde e qualidade de vida in comany.

De acordo com a especialista, os sintomas acima são apenas alguns, diretamente relacionados ao ambiente profissional, “que, quando não tratada devidamente, evolui para a Síndrome de Bournout e, em alguns casos, para o afastamento do profissional”.

Para Evelen, o segredo está em ‘equilibrar’ funções e ter transparência na relação empresas x colaborador. “Os profissionais acumulam atividades porque se sentem testados pelas empresas, em produzir o máximo que pode. O ideal é haver espaço para diálogo e transparência na relação”.

O que se deve analisar é: Para cada funcionário afastado por estresse, são em média 20 dias de ausência. O que faz a gestão mudar. É necessário contratar mais um profissional – estamos falando de um afastamento no caso -, aumentar custos – porque não se pode demitir o afastado – e dedicar tempo inicial ao treinamento deste recém-chegado. “Quando a prevenção seria muito mais eficaz. Como estar atento ao comportamento dos profissionais, por exemplo. Qualquer mudança merece cuidados”, completa Evelen.

Veja a seguir os sintomas iniciais e evoluídos e esteja atento ao seu quadro de colaboradores. “Afinal, todos nós possuímos limites”, finaliza Evelen.

Sintomas iniciais
Dificuldade para ações rotineiras
Irritabilidade
Indecisão
Desorganização
Insônia
Sono agitado
Falta de concentração
Falha na memória
Diminuição do entusiasmo
Sensação de monotonia
Sintomas evoluídos
Cansaço
Ganho ou perda de peso
Má digestão
Prisão de ventre ou diarreia
Gases
Gastrite
Úlcera
Baixa imunidade
Infecções
Gripes
Herpes
Aumento da pressão arterial
Derrame
Infarto
Dores de cabeça
Dores musculares
Dores na coluna

 

Sobre a WED Consultoria: (www.wedconsultoria.com.br) é uma consultoria em educação e saúde comprometida com a excelência do processo e aprendizado e qualidade de vida, criando soluções estratégicas, organizacionais, tecnológicas e operacionais em projetos, gestão, educação e saúde, atendendo organizações que buscam a construção de interações educativas.