Archive for Visual Press

Hepatite C: Novos remédios aumentam para 95% as chances de cura

Presidente da Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite – ABPH, porém, pede que população se mobilize para exigir que governo libere rapidamente a comercialização dos fármacos aprovados

 

Com a recente aprovação nos Estados Unidos dos últimos remédios Sofosbuvir (aprovado nesta última sexta-feira) e do Semeprevir (há cerca de 15 dias) os portadores de Hepatite C ganharam o seu maior presente de Natal.

Considerada uma das piores epidemias do século, a Hepatite C é chamada de o “Assassino Silencioso”, pois mata sorrateiramente, sem dar, praticamente quaisquer sintomas, até que o paciente já esteja às vésperas do transplante ou óbito.

A doença, até o momento não tinha remédios adequados para tratá-la. O tratamento atual é feito com os remédios Interferon e a Ribavirina – fármacos usados em longos períodos, de um ano e que causam diversos efeitos colaterais, entre eles sintomas de gripe forte ou de uma Dengue, acompanhada de calafrios, vômitos, fraqueza, instabilidade emocional, depressão, anemia, disfunções da Tireoide, aftas, tosse, diminuição dos glóbulos brancos e em alguns casos até Diabetes.

Além de todos esses efeitos, a grande maioria dos portadores que se tratam com a terapia atual não consegue atingir a cura, já que o índice de sucesso dos remédios é de aproximadamente 50%.

Porém, os novos fármacos aprovados prometem revolucionar o tratamento da Hepatite C nos próximos anos, já que poderão ser administrados em vários casos sozinhos (como é com o Sofosbuvir) ou combinados entre si, dispensando a inclusão do Interferon e da Ribavirina.

“Essas últimas semanas são históricas para a Hepatite C”, destaca Humberto Silva, presidente da Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite – ABPH e completa “pois o que teremos na prática será a cura para praticamente todos os portadores já que o Sofosbuvir se tomado com o Simeprevir consegue sucesso de cura acima dos 95%. E o que é melhor, em um quarto do tempo (12 semanas) e sem efeitos colaterais”.

“Nós temos que pedir que a Anvisa aprove, rapidamente os remédios para comércio no Brasil e exigir que o Ministério da Saúde comece a distribuí-los imediatamente após a aprovação para a população”, explica Silva.

O presidente da ABPH destaca que “há cerca de 3 anos tivemos a aprovação de um remédio que é acrescentado à terapia do Interferon e da Ribavirina – o Inibidor de Protease e a Anvisa agiu muito rápido. Ficou a desejar , contudo , a agilidade do Ministério da Saúde que até hoje, quase não conseguiu distribuir um volume importante desse remédio. Com o Sofosbuvir e o Simeprevir, devemos ter uma postura diferente”.

No Brasil há hoje, aproximadamente, 3 milhões de portadores de Hepatite C, sendo que menos de 10% sabem que carregam o vírus.

Um grande desafio para nós é o de descobrir o restante do grupo, pois eles nunca descobrirão sozinhos, devido à falta de sintomas.

Humberto aconselha a todos os que sejam nascidos entre 1945 e 1965 a fazer o teste de Hepatite C, uma vez que os nascidos nessa geração tem 5 vezes mais chances de estarem contaminados com o vírus.

 

Sobre a entidade

A ABPH é uma entidade não governamental, cuja missão é descobrir quem tenha o vírus e conseguir acesso ao tratamento.

Humberto Silva fundou a entidade por ter descoberto a doença após 38 anos carregando o vírus em seu organismo, sem saber. Descobriu por acaso e conseguiu se curar do vírus, apesar de ter ficado com a Cirrose Hepática, herança de tantos anos de ataque ao fígado.  A ABPH está organizando a maior testagem da história, fazendo exames rápidos gratuitos em 3 milhões de brasileiros.

Apenas 1% dos brasileiros vão poupar o 13º

Segundo especialista em seguros, Maísa Serra, o esperado décimo terceiro salário deve ser visto como investimento, um acelerador de recursos, jamais usado para comprometer-se com mais dívidas

Dados da Icatu Seguros revelam que sete a cada 10 brasileiros não costumam poupar. Além disso, 35% da população realiza-se em gastar o dinheiro imediatamente do que poupar e torná-lo uma garantia familiar. “30% das pessoas gastam por impulso. Com a chegada do décimo terceiro é comum que a família vise adquirir novos produtos, bens e até serviços. O que compromete a renda familiar quando o valor deveria ser usado para sanar dívidas ou, de preferência, para investimentos, ou até reserva de previdência”, explica Maísa Serra, executiva da Vida Livre Seguros, especialista em seguros e capitalização há mais de 18 anos.

Maísa revela que essa característica de consumo é cultural. “Não temos o costume de uma educação financeira familiar. Fim de Ano é esperado para comprar aquela TV nova, celular ou vários outros itens que nos bombardeiam pelos meios de comunicação”.

A especialista deixa quatro valiosas dicas ao brasileiro para que reveja seus planos e use – pelo menos – parte do dinheiro como poupança.

  1. Não só o 13º salário, mas toda a renda recebida deve ter seu consumo planejado;
  2. Um percentual da renda (que varia de acordo com a idade) deve ser separado para poupança (para projetos, emergências e oportunidade). Isto dá autonomia e liberdade para cada um. Devemos poupar este percentual até que tenha uma reserva de, pelo menos, 25 vezes a renda mensal;
  3. Outro percentual da renda deve ser utilizado para proteger a si próprio, sua família, seu patrimônio e seu futuro, ou seja, imprevistos. Isto deve ser feito através de um seguro e previdência privada. O que dará autonomia, liberdade e dignidade para si e sua família;
  4. E, por último, o 13º salário é uma excelente ferramenta para diminuir o Imposto de Renda, pois poderá complementar os 12% que a lei permite para a dedução do imposto de renda em aportes de previdência privada.

Dica: para começar esta disciplina, uma ideia é dividir o 13º salário em quatro partes:

  • Para pagar alguma dívida;
  • Fazer um aporte em previdência privada (para ter maior renda de aposentadoria e/ou para diminuir o imposto de renda);
  • Fazer um aporte em poupança (para ter uma reserva financeira);
  • Comprar um bem, serviço ou para férias.

Instituições de Ensino formam grupos de socorristas

Emergências cada vez mais comuns como engasgos, torções, reações alérgicas e outras, exigem agilidade e rapidez no atendimento. Grupos são formados por profissionais, professores e até alunos, que queiram saber técnicas de primeiros socorros e prover melhorias à Instituição

Por mais que o ambiente estudantil seja seguro, é comum uma criança que escorrega, torce o tornozelo, um adolescente que se desequilibra e machuca a perna, assim como o caso de engasgo, mal-estar e muitos outros no dia a dia, ainda mais em locais como colégios e universidades. Professores, funcionários e também visitantes estão tão sujeitos à imprevistos como os próprios alunos. O que exige atenção e inovação por parte das instituições de ensino para manter a saúde e o bem-estar de todos.

Um fator ainda pouco considerado é a capacitação de profissionais aos primeiros socorros. “São Paulo possui poucas pessoas habilitadas ao primeiro atendimento. Sabemos que os minutos iniciais são fundamentais para que a saúde de quem sofreu acidente seja controlada e por isso, ter um grupo de socorristas habilitados em cada instituição de ensino facilita aos profissionais da saúde quando recebem os chamados”, explica Evelen Spilla, diretora da WED Consultoria, especializada em qualidade de vida, saúde e atualização profissional.

Em todo o Brasil já houve casos extremos em que, por falta de uma pessoa habilitada, jovens e crianças foram a óbito, vítimas de acidentes. Recentemente pudemos acompanhar o caso do afogamento em escola na região de Moema, em SP e muitos outros nas demais regiões. É com esse foco que a WED Consultoria capacita grupos de pessoas em escolas e universidades, para que estejam aptos à qualquer situação emergencial que houver, como explica Evelen “Não é necessário ser profissional de saúde. Nós treinamos para que a pessoa esteja pronta ao primeiro atendimento em casos de ocorrência, o que sempre acontece quando falamos em grupos de convivência, como colégios, por exemplo”.

“Zelar pela saúde e qualidade de vida dos estudantes deve ser o primeiro fator das instituições. É por isso que formar ‘grupos de socorristas’ deve ser visto como investimento necessário”, finaliza a executiva da WED Consultoria.

 

Sobre a WED Consultoria: (www.wedconsultoria.com.br) é uma consultoria em educação e saúde comprometida com a excelência do processo e aprendizado e qualidade de vida, criando soluções estratégicas, organizacionais, tecnológicas e operacionais em projetos, gestão, educação e saúde, atendendo organizações que buscam a construção de interações educativas.

Escolas e Universidades formam grupos de socorristas

Por mais que o ambiente estudantil seja seguro, é comum uma criança que escorrega, torce o tornozelo, um adolescente que se desequilibra e machuca a perna, assim como o caso de engasgo, mal-estar e muitos outros no dia a dia, ainda mais em locais como colégios e universidades. Professores, funcionários e também visitantes estão tão sujeitos à imprevistos como os próprios alunos. O que exige atenção e inovação por parte das instituições de ensino para manter a saúde e o bem-estar de todos.

Um fator ainda pouco considerado é a capacitação de profissionais aos primeiros socorros. “São Paulo possui poucas pessoas habilitadas ao primeiro atendimento. Sabemos que os minutos iniciais são fundamentais para que a saúde de quem sofreu acidente seja controlada e por isso, ter um socorrista habilitado em cada instituição de ensino facilita aos paramédicos quando recebem os chamados”, explica Evelen Spilla, diretora da WED Consultoria, especializada em qualidade de vida, saúde e atualização profissional.

Em todo o Brasil já houve casos extremos em que, por falta de uma pessoa habilitada, jovens e crianças foram a óbito, vítimas de acidentes. Recentemente pudemos acompanhar o caso do afogamento em escola na região de Moema, em SP e muitos outros nas demais regiões. É com esse foco que a WED Consultoria capacita grupos de pessoas em escolas e universidades, para que estejam aptos à qualquer situação emergencial que houver, como explica Evelen “Não é necessário ser profissional de saúde. Nós treinamos para que a pessoa esteja pronta ao primeiro atendimento em casos de acidentes, o que sempre acontece quando falamos em grupos de convivência, como colégios, por exemplo”.

“Zelar pela saúde e qualidade de vida dos estudantes deve ser o primeiro fator das instituições. É por isso que formar ‘grupos de socorristas’ deve ser visto como investimento necessário”, finaliza a executiva da WED Consultoria.

 

Sobre a WED Consultoria: (www.wedconsultoria.com.br) é uma consultoria em educação e saúde comprometida com a excelência do processo e aprendizado e qualidade de vida, criando soluções estratégicas, organizacionais, tecnológicas e operacionais em projetos, gestão, educação e saúde, atendendo organizações que buscam a construção de interações educativas.

 

 

Condomínios de SP formam socorristas para redução de acidentes

Emergências cada vez mais comuns como engasgos, torções, problemas cardiovasculares, queimaduras, reações alérgicas e outras, exigem agilidade e rapidez no atendimento. Solução para o Estado com maior volume de edifícios residenciais do país é habilitar grupos de primeiros socorros a acelerar atendimento para profissionais da saúde

É comum uma criança que escorrega, torce o tornozelo, um idoso que se desequilibra e machuca a perna, assim como o caso de engasgo, mal-estar e muitos outros no dia a dia. Ainda mais em locais como edifícios residenciais. O que exige atenção, administração e inovação por parte das administradoras para manter a saúde e o bem-estar de seus moradores. São Paulo é o Estado com o maior volume de condomínios e essa proporção deve aumentar também para o cuidado e zelo por seus habitantes.

Um fator ainda pouco considerado é a capacitação de profissionais aos primeiros socorros. “São Paulo possui poucas pessoas habilitadas ao primeiro atendimento. Sabemos que os minutos iniciais são fundamentais para que a vida do morador seja controlada e por isso, ter um socorrista habilitado em cada edifício facilita aos profissionais da saúde quando recebem os chamados”, explica Evelen Spilla, diretora da WED Consultoria, especializada em qualidade de vida, saúde e atualização profissional.

A especialista informa que “sempre se ouve falar que um morador sofreu queda, outro queimadura e inúmeros outros casos. É nessa rotina que o ‘socorrista condominial’ tem sua relevância para manter a segurança e a saúde do morador”, completa a executiva, referente ao curso para formação de socorristas, aberto ao público geral (não é necessário ser profissional da saúde).

“É possível formar grupos que estarão prontos a atender rapidamente em casos de urgência. Agilizando em casos de resgate e outras intervenções”, completa Evelen.

Fatores como Recuperação de engasgo, traumas e torções, queimaduras, reações alérgicas, mal súbito, afogamento e insolação são os casos ministrados pela WED Consultoria.

“Zelar pela saúde e qualidade de vida dos habitantes deve ser o primeiro fator dos condomínios. É por isso que formar ‘grupos de socorristas’ deve ser visto como investimento necessário”, finaliza a executiva da WED Consultoria.

 

Sobre a WED Consultoria: (www.wedconsultoria.com.br) é uma consultoria em educação e saúde comprometida com a excelência do processo e aprendizado e qualidade de vida, criando soluções estratégicas, organizacionais, tecnológicas e operacionais em projetos, gestão, educação e saúde, atendendo organizações que buscam a construção de interações educativas.

Hipermercados formam grupos de socorristas para ocorrências

O ambiente dos supermercados costuma ser um espaço tranquilo onde as pessoas estão mais preocupadas com o consumo do que com a segurança. No entanto esses lugares estão preparados para receber um grande contingente de clientes? Para Evelen Spilla, diretora da WED Consultoria, é necessário mais atenção e inovação por parte das pequenas e grandes redes de mercados.

Um fator ainda pouco considerado é a capacitação de profissionais aos primeiros socorros. “São Paulo possui poucas pessoas habilitadas ao primeiro atendimento. Sabemos que os minutos iniciais são fundamentais para que a saúde de uma pessoa seja controlada e por isso, ter um grupo de socorristas habilitado em cada estabelecimento facilita aos profissionais da saúde quando recebem os chamados”, explica Evelen Spilla, diretora da WED Consultoria, especializada em qualidade de vida, saúde e atualização profissional.

Nunca se sabe quando pode acontecer um acidente, ou até mesmo um crime, perigos a que os hipermercados estão expostos. Para a WED Consultoria é fundamental capacitar profissionais para qualquer tipo de situação, “pois cuidar da saúde também é quesito de segurança”, completa Evelen.

“Zelar pela saúde e qualidade de vida do ser humano deve ser o primeiro fator dos estabelecimentos. É por isso que formar ‘grupos de socorristas’ deve ser visto como um investimento necessário” finaliza a executiva da WED Consultoria.

 

Sobre a WED Consultoria: (www.wedconsultoria.com.br) é uma consultoria em educação e saúde comprometida com a excelência do processo e aprendizado e qualidade de vida, criando soluções estratégicas, organizacionais, tecnológicas e operacionais em projetos, gestão, educação e saúde, atendendo organizações que buscam a construção de interações educativas.

A vez do marketing promocional na estratégia com público-alvo * Por Sandra Meirelles

O mercado de marketing promocional, também conhecido como live marketing, já movimenta cerca de R$ 40 bilhões ao ano no Brasil, segundo a Ampro (Associação de Marketing Promocional). E as perspectivas são de crescimento contínuo.

Nós já percebemos que este é um futuro cada vez mais promissor, com resultados positivos, especialmente em curto prazo, considerando a diversidade de eventos esportivos, por exemplo, que batem à porta do País, como a Copa do Mundo, em 2014, e Olimpíadas, em 2016.

Mas, a pergunta é: De que maneira o marketing promocional cria relevância de marca perante seu público-alvo?

Podemos responder esse questionamento baseado em nossas experiências.

Formatos engessados já não funcionam mais. O consumidor espera fazer parte da ação, de uma forma que o envolva cada vez mais. É o chamado engajamento, onde o consumidor é transferido para um papel ativo,  assume posturas e interage com a marca. É certo que o mundo da comunicação caminha para tudo acontecer ao vivo, em tempo real, imediato, de resultado rápido.

Posso afirmar com toda certeza que o marketing promocional se tornou o novo branding, onde a marca entra em contato com o consumidor dentro do seu universo e realidade, de maneira não evasiva, mas sim, convidativa e interativa.

É preciso dizer também que o marketing promocional é importante não somente pela rapidez dos resultados, mas também pelo que pode agregar de valor à marca, além de diversos outros ganhos a médio e longo prazo.

Por esse motivo, é essencial que a empresa invita cada vez mais em pesquisa e planejamento para potencializar as ações e o investimento.

Entender o público, as necessidades dele e envolve-lo é o segredo do sucesso. Chega de bombardear o consumidor das mesmices. O conceito criativo é essencial.

 

* Sandra Meirelles é publicitária e diretora da Agência Mattis. Para saber mais informações acesse www.agenciamattis.com.br

20, 30,40 ou 50 anos: Saiba qual o corte de cabelo ideal para você

Especialista do Espaço UMA revela dicas na hora de escolher o corte ideal para cada idade. Segundo o hair stylist  “uma opção correta pode rejuvenescer e até glamourizar o visual.”

 

Quem nunca se arrependeu com um corte de cabelo? Franja, comprimento ou volume, são muitos os itens que precisamos estar atentas na hora da escolha. Já não é mais ‘lei’ cabelos compridos, beirando à cintura, para mulheres na faixa dos 20 anos. Os tempos – felizmente – mudaram e nos oferecem muitas opções. Assim como já podemos ver mulheres com seus 50 anos – ou mais – e que circulam com cabelos médios, sem infantilizar a imagem. Veja o caso da atriz global Suzana Vieira, que aos 71 anos exibe suas madeixas de médio comprimento.

“Assim como a lindíssima atriz Leandra Leal que na minissérie Saramandaia optou pelo curtíssimo, exibindo feminilidade forte e de opinião”, destaca Renato Daniel Omena do Espaço Uma, dedicado à cuidados com cabelo, Manicure e estética, em São Paulo.

Para o especialista, “na hora da escolha é fundamental considerar o estilo de vida, comportamento, formato de rosto e preferências”. Por isso, antes de olhar na revista e optar pelo corte da modelo, lembre-se de que seu rosto e seu estilo de vida podem não ser semelhantes ao dela.

Veja abaixo 2 ‘dicas de ouro’ do especialista para não errar (e nem se arrepender):

 

  1. Estilo de vida: Se não curte e nem tem tempo para fazer escova todos os dias, opte por corte prático, que exijam menos tempo na hora de se preparar, ou a Plástica dos fios, que deixam as madeixas lisérrimas e hidratadas. Caso contrário, analise opções como o corte da atriz Sophie Charlotte, o conhecido ‘messy hair’. Já as que não abrem mão do médio e nem querem deixá-lo liso, considere a opção de ‘assumir’ o volume mas sempre muito bem tratado, como a atriz Débora Nascimento;
  2. Cuidados básicos: Quanto mais longo o comprimento do cabelo mais cuidados exigirá, como corte frequente, hidratação e caso já tenha cabelos brancos, tintura ou luzes. O cabelo cumprido não combina com os fios brancos entre os fios da cor natural do cabelo, deixando um aspecto envelhecido.

 

Omena explica que “uma mulher realizada e satisfeita com seu cabelo tende a exibir muito mais segurança, onde quer que vá”.

 

 

Sobre o Espaço UMA (www.espacouma.com.br): Espaço dedicado à beleza, estética, saúde e bem-estar, reúne os mais modernos equipamentos e técnicas. Localizado em São Paulo, o Espaço UMA conta com equipe formada por especialistas em cortes, coloração, design de sobrancelha, maquiagem, unhas e tratamentos estéticos. Mais informações acesse www.espacouma.com.br.

 

Tendências do universo pet: A tosa artística, o que é e quais raças estão aderindo?

Novo estilo de tosa vem ganhando preferência no Brasil

Quando o assunto é tosa, existem vários tipos para deixar o bichinho de estimação com um visual mais bonito e higiênico. Dentre elas as mais famosas são: tosa da raça – tosa típica de cada raça, exemplo Shih Tzu, Lhasa Apso, Poodle, Schnauzer, tosa higiênica – retirada da pelagem do abdômen, dos coxins e da região íntima, muito usada para evitar a sujeira e a proliferação de fungos e bactérias, tosa Bebê – deixa o cão com uma pelagem semelhante à de um filhote, ideal para evitar nós nos pelos; e a mais nova modalidade, a japonesa, ou asiática, que deixa os pelos do rosto mais curtos ou mais longos, aparência do focinho arredondada e patas com pelos fofos.

Em São Paulo muitos pets shops têm adotado essa técnica. É o caso do Pet da Pri, localizado em São Paulo. Priscila Daud proprietária e especialista em banho e tosa afirma que a tosa japonesa virou tendência no Brasil, “além de valorizar os pelos, os pets estão mais charmosos. Os donos adoram”, completa.

“A manutenção da tosa é feita a cada 15 ou 20 dias e quem mais procura são donos de raças Shih Tzu, Lhasa Apso, Poodle, Yorkshire, completa Priscila.

Sobre o Pet da Pri – Localizada na zona sul da capital paulista, o Pet da Pri é especializado em estética e higiene de animais. Como diferencial, realiza o check-in antes de o animal passar pelo procedimento, aumentando a segurança dos clientes.

 

Ainda dá tempo! Emagreça e fique com corpo pronto para o verão

Hábitos alimentares, com porções reduzidas e maior frequência, aceleram o metabolismo, primordial para secar a barriguinha.

 

O final do ano se aproxima e nessa época começa a ‘prova dos nove’ pra ver quem andou na linha. A poucos meses do início do verão, é hora de caprichar na malhação ou começar uma dieta esperta.

Para Brunna Reis, nutricionista do Dietas Delivery ”com algumas mudanças já é possível se preparar e aproveitar a estação”. E completa. “Esqueça regimes mirabolantes e dietas malucas de verão que prometem a perda de peso em pouco tempo. O segredo mesmo é hábito alimentar saudável, com maior frequência e em menor porção, alimentos de qualidade,  além do exercício físico, claro”, explica a especialista.

Brunna listou sete dicas importantes para começar já a sua dieta e entrar no verão com ’aquele corpinho’. Confira:

 

  1. Alimente-se de três em três horas: Isso irá acelerar seu metabolismo e ajudará na queima de gordura;
  2. Reduza a quantidade dos alimentos ingeridos: Ao aumentar sua frequência de alimentação, você reduzirá nas porções, já que seu metabolismo estará habituado a sempre receber nutrientes. Com isso você irá ingerir porções menores, respondendo melhor ao organismo;
  3. Diminua a quantidade de sal nas refeições: “O sal, como já sabemos, é responsável por reter líquido e provocar inchaço. Pessoas com tendência a doenças cardiovasculares, hipertensos e outros, devem estar sempre atentos. Sal em excesso não faz bem para ninguém”, explica a nutricionista;
  4. Faça uma refeição colorida, com bastante legumes e verduras;
  5. Evite ingerir gorduras e açucares;
  6. Líquidos somente 40 minutos depois da refeição:
  7. Ingira bastante fibra e água, pelo menos 2 litros por dia

 

A atividade física também é um grande aliado à perda de peso rápido e saudável. A dica é da personal trainner, Renata Rugene, também do Dietas Delivery: “Se você não tem costume de praticar exercícios físicos, comece com uma caminhada moderada. Aumente o tempo gradativamente e a intensidade ao poucos. A queima calórica dos exercícios vai acelerar a perda de peso”.

Agora, para quem não tem tempo de preparar a alimentação correta, aqueles que vivem na correria, podem investir em serviços delivery, como o Dietas Delivery. Baseado num programa alimentar, o cliente que deseja perder ou manter peso recebe até cinco refeições de acordo com seus objetivos.

 

Sobre o Dietas Delivery (www.dietasdelivery.com.br) – No mercado desde 2010, a empresa é especializada na entrega delivery de alimentos nutritivos para auxiliar a perda de peso, reeducação alimentar e manter a saúde. Dietas Delivery trabalha com ingredientes selecionados, de características funcionais (que trazem benefícios ao organismo) e alimentos orgânicos. A empresa conta com profissionais especializados entre nutricionistas e preparadores físicos.